Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Cartas para Estranhos #14

por Catarina d´Oliveira, em 03.09.15

Não há nada que possamos fazer de bom que necessite ser justificado.

 

especial2.jpg

 

"Querido/a Estranho/a,

Provavelmente nunca nos conhecemos, mas achei que podia deixar-te isto de qualquer forma.

Não sei se alguém já to disse hoje ou nos últimos tempos, mas tu és uma pessoa fantástica e extremamente bonita. Não deixes que te mudem de acordo com o que acham certo ou convencional. Sê destemidamente autêntico/a.

O dia pode estar gelado e não aparentar ter fim, mas mantém a cabeça levantada e sorri. Os dias mais claros e quentes vêm a caminho.

Há coisas grandes à tua espera. Avança sabendo SEMPRE que és ESPECIAL.



De uma pessoa como tu"

 

 

especial.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por aí... #17

por Catarina d´Oliveira, em 11.08.15

 

IMG_7091.JPG

 

Expose yourself to your deepest fear; after that, fear has no power, and the fear of freedom shrinks and vanishes.

You are free.”
Jim Morrison

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #12

por Catarina d´Oliveira, em 30.06.15

Nem há outra maneira de colocar isto: às vezes há dias mesmo merdosos. Mas cabe-nos a nós virá-los do avesso e a nosso favor.

 

IMG_0911.JPG

 

 

"Hello stranger,

Posso dizer com grande certeza - a menos que intervenha uma coincidência colossal - que não nos conhecemos, e talvez nunca venhamos a conhecer. Mas não faz mal porque, de qualquer forma, estou a pensar em ti. E estou a pensar em ti porque talvez sejas como eu e estejas a ter um dia de porcaria, ou a sentir-te sozinho/a, com o cabelo a parecer um autêntico ninho e cucos porque nem tiveste tempo para um duche hoje. Quero dizer-te que NÃO estás sozinho/a. No entanto, tenho mais para te dizer...

Tu, sim, tu... és espetacular. Mesmo que hoje te sintas um nojo ou um poço depressivo, quem é que se importa com isso? Eu acho que estás ótimo/a, portanto trata de começar a sentir-te confiante e bonito/a, porque tens TODO O DIREITO A ISSO!

Não deixes que um dia ranhoso te impeça de aproveitares o teu tempo e de TE amares, ok? És muito mais forte do que a batalha que estás a enfrentar, e podes ultrapassar todos os obstáculos se acreditares em ti.

Pensa em todas as tuas qualidades irresistíveis, em todas as tuas ideias brilhantes e os teus talentos únicos que te tornam na pessoa que és, e não tenhas medo de os amar.

Agora respira fundo.

Daqui para a frente, promete-me que vais passar o resto da tua vida a ser uma pessoa fantástica - afinal, nem tens de tentar assim tanto!


De uma amiga que ainda não conheceste"

 

 

FullSizeRender.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #10

por Catarina d´Oliveira, em 03.06.15

A décima que ficou por aí, e ficou perto de casa e perto do coração.

 

E a quem a encontrar e a todos os outros, que nunca se percam em expectativas alheias e que deixem que seja o vosso Eu interior e determinar o caminho - mesmo que, e sempre, na companhia de quem vale a pena.

 

carta1.jpg

 

 

"Olá estranho/a,

Quero começar por dizer que, ainda que muito provavelmente não te conheça, és uma pessoa fantástica e genuinamente boa. És tão talentoso/a que devias estar orgulhoso/a disso! Mas não é só isso que quero que saibas... há mais.

Tu ainda ÉS mais. Um suspiro inapagável, e que não se parece com nenhum outro - isto é a tua identidade. Não são as tuas notas ou as tuas teses. Ou os teus amigos e os teus romances. Ou o teu trabalho e o teu dinheiro (ou falta deles). É aquilo que está dentro de ti e que determina tudo o que fazes que vale a pena. E às vezes a sociedade, ou a família, ou alguém que conheces e amas vai tentar 'afogar' esse suspiro ao dizer: 'Faz isto! Não faças aquilo! Acredita nisto! Tu és isto! E nada mais importa'

IGNORA-OS

Ouve aquela pequena voz dentro de ti, que te vai guiar para o que é melhor para ti no momento. É beleza e bondade puras. É o que dá valor às tuas ações, personalidade e crenças, e não o contrário.

Tu vales ouro, caro/a amigo/a.



De uma estranha como tu."

 

 

carta2.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #5

por Catarina d´Oliveira, em 05.09.14

Depois de umas férias, as minhas cartas e a minha amizade vai voltar a ficar espalhada por aí. Ontem aproveitei uma idea a Belém e resolvi deixar rasto. Porque às vezes só precisamos mesmo de um sinal que não estamos sozinhos.

 

 

"Olá Estranho/a,

 

Esta carta é para ti, justamente porque não queria que te sentisses sozinho/a num dia tão bonito como este. Isto porque sou exatamente como tu... tenho sonhos, ambições, objetivos por concretizar... mas, às vezes, a vida põe-nos obstáculos tramados pelo caminho.

 

Mas quero que saibas, mais do que qualquer outra coisa, que por casa desafio e barreira que ultrapassares, não só lhe podes atirar um valente "TOMA LÁ, VIDA SACANA!", como te vais tornar cada vez mais sábio/a e forte.

 

Vais ser capaz se te esforçares e se NUNCA DESISTIRES.

 

Tu tens valor, aqui, no mundo. Estás aqui por alguma razão, para cumprir uma missão - a tua.

 

Não deites fora as tuas ambições, os teus sonhos.

Não TE deites fora.

 

 

De alguém que acredita em ti."

Autoria e outros dados (tags, etc)

No I.P.O. não há doença: há vida e esperança

por Catarina d´Oliveira, em 03.06.14

Não são raras as vezes em que temos de relativizar as coisas. Ou, pelo menos, devíamos.

 

Tirar uns minutos para parar, sair da bolha de absorção que é a nossa vida quotidiana e olhar à volta. Se o fizermos, não só temos oportunidade de ver coisas que nunca tínhamos visto, como também nos possibilitamos a encontrar "acidentalmente" quem não nos faça sentir tão sozinhos, quem nos ensine mais do que julgávamos poder saber, quem nos mostre que na tragédia grega que é a vida há sempre lugar para a esperança, para o sorriso e para o Amor.

 

Hoje fui até ao I.P.O., e foi lá que conheci uma senhora a quem daqui em diante tratarei por B.

 

 

O dia está soalheiro, e pelos jardins do Instituto espalham-se histórias que nunca ficarão por contar - ainda que não seja por mim. A B. estava sentada no banco onde também me acomodei, e enquanto me instalava ouvia-a indistintamente numa conversa animada ao telemóvel. Quando terminou, resolvi meter conversa.

 

"Desculpe meter-me... mas depreendo que tenha aqui alguém, e só lhe quero dizer que fico muito feliz por as coisas estarem a correr bem". Surpreendida, olhou para mim, sorriu e respondeu: "Sim! A minha filha... só tem oito aninhos, mas já anda a batalhar desde os seis. É a pessoa mais corajosa que conheço".

 

Sem querer parecer grosseira ou intrusiva, questionei a B. sobre a jornada até hoje, desde a instalação do terror até ao final que até agora tem tudo para ser feliz. "Sabe... eu achava que já tinha apanhado uns sustos valentes na vida, mas só naquele momento é que percebi a verdadeira definição de medo. Quando os médicos falaram comigo, senti que tudo desapareceu à minha volta. Já não ouvia nada, não via nada, não sentia nada. Depois o pavor começou a crescer".

 

Vieram as segundas opiniões - necessárias apenas para assegurar o terror de quem percebia o que se passava - e as sucessivas consultas e consequentes sessões de quimioterapia. "É devastador ver o nosso filho passar por algo assim, mas por outro lado - eu tento sempre ver as coisas pelo lado positivo - serviu para me mostrar o quão forte ela era, mesmo tão pequenina. Foi raro chorar. E mesmo quando se entristecia de não poder sair para brincar com os outros meninos, lá arranjava maneira de se reerguer. Nunca vi nada assim. Foi ela mesma que, muitas das vezes, nos animou a nós".

 

O sorriso continuava lá, ainda que partes da história (que aqui não tenho espaço ou memória para desenvolver com exatidão) fossem tão dolorosas de recordar. "Lembro-me como se fosse hoje que quando ela começou a perder cabelo quase entrei numa espiral depressiva. Talvez só ali algo se tivesse finalmente ativado na minha cabeça... mas mais uma vez ela ensinou-me a sorrir e esperar o melhor mesmo quando todas as luzes parecem apagadas - 'Olha mamã! Agora já não precisas de me enrolar o cabelo com o secador sempre que tomo banho!!'".

 

No final, a B. lá me voltou a relembrar do importante, mesmo que com esta história fosse impossível ficar-lhe indiferente: "Quem olha para ela agora, não diz que já passou por tanto. E nós estamos gratos todos os dias. Apreciamos cada um como se fosse uma jóia, sabe? Porque é mesmo. Isto é tudo muito efémero. Um dia estamos aqui, mas ninguém nos garante que estejamos no seguinte. O único controle que temos nisto tudo é a forma como escolhemos responder às coisas, aos desafios".

 

Depois desta conversa, senti-me simultaneamente esmagada e inspirada pelas coisas boas. Subi até ao sétimo piso do I.P.O. - onde se encontra a secção de Pediatria - procurei a vending machine mais próxima e deixei um pequeno incentivo a quem por lá passar... porque muitas vezes, é na invisibilidade dos atos que nos sentimos fortalecidos.

 

 

 

Deixarei outra história para outro dia, mas não termino este post sem vos (e me) recordar do que realmente importa. A vida acontece a todos nós, e estou certa que é por ser tão frágil e por vezes tão dura connosco que toma um valor transcendente, que nunca existiria num Éden povoado por imortais.

 

Estamos aqui e agora. Não deixem que seja preciso uma tragédia ou a iminência dela para vos mostrar que a lista de coisas que são vitais à vossa vida não é tão longa como nos fazemos crer. Não desistam de procurar o Bom que existe em toda a gente. Não percam a esperança nos outros e em vocês. Parem de procurar a perfeição e aceitem a imperfeição de quem vos quer bem e a vossa também. E por fim, se amam alguém, por favor, digam-lhe. Digam sempre, porque nas contas finais, é tudo o que realmente importa.



Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #3

por Catarina d´Oliveira, em 27.05.14

Porque sabe mesmo bem saber que não estamos sozinhos nesta aventura da vida...

 

 

Olá estranho/a,

Fico muito feliz por teres tomado a iniciativa de abrir e ler esta carta. Estava mesmo a pensar na quantidade assustadora de mãos às quais ela podia ter ido parar... e, no entanto, veio direitinha para ti. Talvez isso mostre que, afinal, isto não é tudo uma macabra obra do acaso e que a vida funciona, de facto, de formas misteriosas.

Posto isto, tenho um desafio para ti: abraça o dia de hoje.

És uma pessoa fantástica e amada, por isso ilumina a sala com o teu sorriso. Tira algum tempo para ti e passeia, vê um filme, bebe uns copos com os amigos.

Perdoa-te, e aos outros. Ri, sorri e ama. Sempre. Faz cada dia contar, a partir de agora.

 

 

Terei sempre um imenso orgulho em ti.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #2

por Catarina d´Oliveira, em 19.05.14

 

Mais um dia, mais uma carta deixada por aí, quem sabe para fazer alguém sorrir.

 

 

"Olá estranho/a,

 

Queria tirar alguns minutos para te encorajar e lembrar-te do quão ESPETACULAR tu és.

 

Não conheço as tuas lutas, mas sei que, como eu, batalhas de alguma forma. Dia após dia. Então peço-te: não desistas! Aguenta-te! Bem sei que os clichés só irritam, mas é mesmo verdade que um dia a tempestade cessa e a recompensa chega.

 

Estamos no mesmo barco, e todos precisamos de um empurrãozinho de vez em quando… então faz o seguinte: fecha os olhos, endireita-te, inspira bem fundo e SORRI. Porque estás vivo/a, estás aqui e vales a pena.

 

E para terminar… porque todos precisamos de um sorriso e um abraço de vez em quando, aqui vai um de cada, só para ti  -> :) O <-

 

 

Com a maior amizade…

Alguém que acredita em ti."

 

 

[o mundo é realmente pequeno, e acabei por saber que pelo menos esta carta chegou a alguém... e subitamente fui feliz]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cartas para Estranhos #1

por Catarina d´Oliveira, em 14.05.14

 

Acho que vivemos num mundo com pouca esperança e crença em si mesmo. Passamos a vida a correr de um lado para o outro, com a cabeça enfiada no chão e nunca paramos para olhar e apreciar o que se passa, incluíndo todas as outras pessoas que seriam capazes de nos ajudar a ultrapassar tudo isto.

 

A vida é difícil, mas é difícil para todos. O que faz falta - creio eu - é a capacidade de tirarmos uns breves momentos para estarmos lá uns para os outros, para nos apoiarmos. Em resumo, talvez nos faltem cartas de amor - românticas, de amizade, de apoio, de companheirismo.

 

Resolvi, como outros fizeram antes de mim, dar um passo contra a corrente. E a partir de hoje, as minhas cartas e a minha amizade ficará espalhada por aí. Aqui fica a primeira de muitas.

 

 

 

"Olá Estranho/a,

 

Esta carta é para ti, justamente porque não queria que te sentisses sozinho/a num dia tão bonito como este. Isto porque sou exatamente como tu... tenho sonhos, ambições, objetivos por concretizar... mas, às vezes, a vida põe-nos obstáculos tramados pelo caminho.

 

Mas quero que saibas, mais do que qualquer outra coisa, que por casa desafio e barreira que ultrapassares, não só lhe podes atirar um valente "TOMA LÁ, VIDA SACANA!", como te vais tornar cada vez mais sábio/a e forte.

 

Vais ser capaz se te esforçares e se NUNCA DESISTIRES.

 

Tu tens valor, aqui, no mundo. Estás aqui por alguma razão, para cumprir uma missão - a tua.

 

Não deites fora as tuas ambições, os teus sonhos.

Não TE deites fora.

 

 

De alguém que acredita em ti."

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

subscrever feeds